"Não vejo sentido nas escolhas profissionais que fiz" | Mentoria PdH #35

"

Olá,

Eu passei por um momento delicado em certas esferas da vida e, como não sei o que fazer, compartilho meu problema com você para ver se alguém consegue uma luz. Na profissão há quase nove anos, não tenho mais o desejo de continuar porque não confio em nosso sistema judicial. Dedico-me sinceramente a todos os processos que me foram confiados, já rejeitei propostas de emprego que me dariam mais do que o dobro do meu salário atual para privilegiar a confiança dos clientes que me contrataram (e cujos processos ainda não terminaram) e eu me vejo bombardeado por todos os lados, o cuidado que tenho para lidar com casos não é igualado pelos juízes, que parecem julgá-los de alguma forma e sem a menor das outras pessoas do outro lado – tanto o partido quanto o advogado, que se mantêm assim – e cuja vida é diretamente afetada por ele. também insatisfeito e muitas vezes culpam o advogado, que é psicologicamente estressante.

Também sou professor universitário, e recentemente me demiti de uma universidade para não concordar com os métodos usados ​​lá. Os alunos são formados de alguma forma, sem se preocupar com a excelência no aprendizado e concentrando-se apenas no dinheiro. Isso se reflete, em última instância, nos atores que seguem a lei entrando no mercado de trabalho, e isso devolve o problema anterior.

Finalmente, também tive vários problemas com o supervisor do meu mestre em uma relação notoriamente abusiva, onde, além de não ajudar em meus três anos de pesquisa e não responder minhas várias perguntas, sempre criaram dificuldades em absolutamente todos os procedimentos formais exigidos pelo corpo docente.

Tudo isso coloca a seguinte questão: o que eu faço

Eu acho que não há compromisso geral e que tento mudar o panorama que realizo sem conseqüências concretas. Se eu tentar mudar a base, a universidade me impedirá. Se você tentar mudar como você age em um processo legal, aquele que determina – e também quem faz as provações – também não ajudará. Se eu tento estudar para qualificar e melhorar os processos anteriores, muitos obstáculos surgem única e exclusivamente pela falta de boa vontade.

Além de ter me demitido da universidade e apenas aguardando a indicação do banco do meu mestre – um procedimento que também se tornou difícil para o supervisor mencionado anteriormente – praticamente fiz o mínimo necessário no escritório. Portanto, sinto-me sugado pelas condições ambientais que tanto critico. Eu não tenho forças para continuar lutando contra o sistema, mas não lutar, isso me dá ainda mais ansiedade. Então o que fazer?

P.S. Eu sei que meu relatório é muito específico para o mundo jurídico, mas acho que essas situações são totalmente expansíveis para outras profissões, onde há uma necessidade de lidar com as pessoas (ou seja, quase todos). Então eu acho que a ajuda pode até vir de pessoas em esferas que eu nem conheço.

Q.2: Mudar de carreira seria um conselho fácil, e isso é algo que eu acredito. Mas há especificidades no mundo jurídico que dificultam, como o atraso extremo na solução final dos processos judiciais. Como eu disse, não quero deixar meus clientes à mão. Eu dificilmente aceitei novos casos, mas os antigos não têm perspectiva de um fim. Por outro lado, sem novos casos, minha subsistência é relativamente prejudicada, especialmente agora que estou fora da universidade. O efeito de nossas escolhas profissionais, TED por Cesar Karnal

O poder para tomar nossas escolhas.

O poder de tomar nossas escolhas, TED por Aline Jaeger

Como responder e ajudar com o Mentorship PdH (leia para evitar que seu comentário seja excluído):

  • Sempre comente a primeira pessoa sobre sua experiência direta de o assunto – e não apenas dizer o que a pessoa tem que fazer, como professor longe da situação
  • não enganar, humilhar ou brincar com o outro
  • ser específico para contar o que funcionou ou não para você
  • ] nós crescemos parcerias De acordo com a perspectiva sugerida aqui, que vai além das amizades comuns (vale a pena ler este link)
  • comentários grossos, rudes, agressivos ou fugazes serão excluídos

Como faço para enviar minha pergunta? ] Você pode enviar sua pergunta para posts@papodehomem.com.br

O assunto do email deve ter o seguinte formato: "PERGUNTA |

Posso fazer perguntas simples e práticas, na linha" Como faço para planejar minha cidade sem mudar? quebrar? Como organizar melhor o tempo para cuidar do meu filho? Como lidar com o diagnóstico de uma doença grave? "

Queremos também abordar as dificuldades práticas que enfrentamos em nosso dia a dia.

Basta enviar-me a coleção Mentorship PdH

André Luiz, um presente para você:

Vamos enviar você através do email "As Crises dos 25 Maiores Homens – e Como Superá-los", produzido pela PdH.

Se você quer comprar ou dar um presente que pode beneficiá-lo, compre sua edição aqui. tudo que você encontrar lá, leia este texto

Quando você compra o livro, você também ajuda a manter PapodeHomem vivo

Nossa receita de publicidade diminuiu drasticamente nos últimos dois anos, assim como aconteceu Com toda a indústria de notícias no Brasil e no mundo (o orçamento agora se concentra no Facebook e Google), já que o que fazemos por você e não gera o maior número de cliques com textos em branco, essa ajuda é crucial para nossa sustentabilidade.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *